Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


29
Dez08

PIANO EM TARDE DE CHUVA

por Jorge Oliveira
























Acabo por negar
teu rosto
e neste encontro
recolho teu corpo
nesta tarde de chuva

Serpentes loucas
filhas das gotas de água
comungam a minha sede
e a tua nudez me espera
na janela do provir

O meu pensamento
agitado de silêncio
ouve ao longe
as notas do piano
de Pour Elise

Mas, os meus olhos!...
Os meus olhos bebem
o mistério da ilusão
Um cálice sussurrante
e quente de solidão
a penetrar pela garganta
na voz da razão

A chuva que cai
vai escorrendo pela janela
e vejo teu rosto nela
tentando limpar
meus pecados.

E o piano toca...
e nunca mais acaba…

Autoria e outros dados (tags, etc)


5 comentários

Sem imagem de perfil

De anacoelho a 29.12.2008 às 19:31

Bebi este poema no silêncio deste dia de chuva

Beijos
Sem imagem de perfil

De Inês a 02.01.2009 às 17:31

"O meu pensamento
agitado de silêncio"....
Porque é que sempre que volto para te visitar falas comigo?...que saudade....
IC
Sem imagem de perfil

De Jorge Oliveira a 07.01.2009 às 09:15

Obrigado pela visita e comentários... eu fico sempre sem palavras perante comentários, não consigo muito bem comentar o que já é comentado... mas fico feliz por ler os comentários que me fazem...
Sem imagem de perfil

De Vera a 07.01.2009 às 10:12

Jorge, eis um poema (ou mais um poema) que partilhas e que me toca imenso...
Belíssimo!

Beijo grande
Sem imagem de perfil

De the sisters a 09.01.2009 às 02:48

duvidas para que ?!
só podes ser mesmo o meu tio !


beijos !

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.